Formaturas de adolescentes do ensino fundamental são oportunidades para revelar saberes que humanizam a vida de estudantes e professores e anunciar o protagonismo que poderá mudar a vida dos mesmos.

Prezada diretora. Prezados docentes, discentes, familiares, amigos, e meus amados e inesquecíveis afilhados.

Há coisas na vida que não se repetem. São sempre como se fora a primeira vez. Ser paraninfo de uma turma como a de vocês é uma delas. A alegria profunda que senti quando fui convidado é um momento único. Gostaria de dizer a vocês nesta hora algumas coisas que talvez possam ajudá-los a viver uma vida boa, uma vida de sonhos, uma vida feliz.

Uma das grandes, senão a maior característica da juventude, é a curiosidade intelectual que impulsiona vocês a descobrirem-se a si mesmos e ao mundo à sua volta.

Nesta etapa da vida estudantil, devem-se observar as profissões mais promissoras, mas, para que sua escolha seja definitiva, a orientação de todos nós, os chatos… pais, mestres e direção é preponderante, embora todos devamos ter a compreensão necessária e a paciência madura de também ouvi-los em seus anseios e sonhos…

Se há uma coisa legal da idade de vocês é o sonhar.

Se há uma coisa que gosto em mim é sempre me perguntar “o que vou ser quando crescer?” Nunca deixem de fazer isso, de pensar no futuro, de sonhar.

Eu e meus colegas aqui presentes, passamos com vocês bom período de trabalho e de vida. Foram anos seguidos, ou seja, quase um terço da vida de vocês, bastante tempo.

Quero aproveitar e dizer, então, que assim como o marceneiro pisa em cima de serragens e o vidraceiro trabalha com pedaços de vidro, o educador mexe com as almas. É assim que eu e todos os outros professores desta escola sempre enxergamos vocês. Nunca como um número ou como um dado estatístico, mas sim como uma alma a quem se deve tratar com respeito, mostrando um caminho para que vocês possam fazer as escolhas certas, pois viver corretamente implica em ter atitudes consequentes no que se refere ao individual, ao familiar, ao comunitário e ao universo.

Quatro anos juntos me permitem dizer hoje que conheço um pouco de cada um de vocês; alguns com mais propriedade.

Há entre vocês alguns menos curiosos pelo conhecimento. Outros, muito curiosos por novos e constantes desafios diante dos quais nos esforçamos sempre para colocá-los em todas as áreas do conhecimento.

Levo comigo muitas lembranças de trabalho, de contos, de piadas, de alguns momentos alegres e algumas broncas, pero no muchas. Tenho certeza que todos deixam no Ensino Fundamental uma marca.

Algumas, verdadeiras pegadas, porém, todos uma grande lembrança. Acima de tudo, tenho a certeza que a chama do amor e amizade tocou cada alma aqui presente. Alguns de vocês ainda não perceberam isso ao certo, mas sei que um dia perceberão que ela arde dentro de seus corações.

Queridos afilhados, vocês acabaram uma importante etapa da vida escolar e novos caminhos virão pela frente. Mas lembrem-se do seguinte: vocês deverão zelar pelo bom nome de cada um de vocês e ter a coragem de assumir novos desafios.

Trilhem por seus próprios caminhos, almejem o topo e arrisquem, acreditem e invistam nos seus sonhos e nunca deixem de ser felizes.

“Sonhos não foram feitos apenas para serem sonhados, mas para serem vividos e também realizados.”
(Marcella Nicolini Furtado)

“Se lutarmos todos os dias para realizar nossos sonhos, não sobrará tempo para pensar em derrota.”
(Paola Rhoden)

A história do fazendeiro, do capataz e do cavalo machucado

Conta-se que um fazendeiro, que lutava com muita dificuldade, possuía alguns cavalos em sua fazenda.

Um dia, o capataz lhe trouxe a notícia de que um de seus cavalos havia caído em um poço muito fundo e seria difícil tirar o animal de lá. Avaliando a situação o fazendeiro chamou o capataz e ordenou que sacrificasse o animal soterrando-o ali mesmo. O capataz e seus auxiliares começaram a jogar terra, no entanto, a medida que a terra caía sobre seu dorso, o cavalo se sacudia e a derrubava no chão e pisava sobre ela.

Logo, os  homens perceberam que o animal não se deixava soterrar, mas, ao contrário, estava subindo à medida que a terra caía, até que, finalmente conseguiu sair. Está terra pode ser uma crítica para você, não despreze, então quanto mais terra jogarem em você lembre-se que estão fazendo você subir.

Olhem para seu futuro

Sonho e desejo a cada um de vocês o maior sucesso no Ensino Médio mas, em especial, na vida. Que sejam mulheres e homens valorosos e bondosos para que seus pais, de sangue e de afeto aqui presentes, e todos a sua volta, possam ficar sempre orgulhosos pela contribuição que cada um de vocês fará, com certeza, no lugar onde se encontrar. Uma carreira de sucesso é feita de sucessivos recomeços. Vocês não estão terminando, vocês vão recomeçar.

Meus queridos afilhados: não se esqueçam de serem felizes. Lembrem-se que a felicidade tem mais a ver com atitudes do que com circunstâncias. Voem alto, mergulhem fundo, encontrem o próprio caminho.

Não tenham medo de tentar, de recomeçar, de insistir. O maior naufrágio é não partir.

Um grande navegador disse: eu me despeço de vocês. Vão em paz. Sejam bons, justos, afetuosos e tolerantes. Com gentileza e bom humor. O mundo os acolherá.

Como sempre disse, bom final de semana e levem junto o juízo.

Muito obrigado e, novamente, o maior sucesso para vocês!”

 

Altenor Mezzavila, professor de língua portuguesa da rede municipal de Passo Fundo.

  • Diego Ecker

    Muito bom.