Professores que escrevem

A valorização dos professores também passa pelo exercício da leitura e da escrita.

62

Somos dois professores da rede municipal de Passo Fundo e da rede estadual da região que “brigam com as letras”. Eu, Nei Alberto Pies, escrevo crônicas. André Rossi Canals escreve contos. Desde que nos descobrimos escritores e com livros editados em 2014, estamos em campanha pela divulgação de nossos livros, mas, principalmente, motivando mais colegas professores e professoras para que escrevam e publiquem suas construções e reflexões, literárias ou não.

Enquanto não escrevemos, outros profissionais, das mais diferentes áreas do conhecimento, dizem como deve ser a educação. Uma das formas de valorizarmos nossa profissão é também manifestarmos publicamente o que pensamos, o que acreditamos e o que fazemos por nossas escolas públicas.

Acreditamos que a valorização dos professores também passa pelo exercício da leitura e da escrita. Para darmos conta da complexidade do aprender e do ensinar contemporâneos, a literatura poderá ser a nossa grande aliada. Um professor que lê e que escreve sempre será um profissional diferenciado.

  • Diego Ecker

    Enquanto não escrevemos, outros profissionais, das mais diferentes áreas do conhecimento, dizem como deve ser a educação. Uma das formas de valorizarmos nossa profissão é também manifestarmos publicamente o que pensamos, o que acreditamos e o que fazemos por nossas escolas pública