Em época de liberdade sexual e religiosa, onde as pessoas
podem assumir suas escolhas e crenças, deparar-se com
discursos velhos e hipócritas soa estranho e preocupante.
Doutrinação nunca foi nem nunca será uma
forma de convencer alguém do que é bom.

 

A última semana do ano de 2017 foi marcada por uma postagem leviana e que preocupa. Dois vereadores de nossa cidade Passo Fundo gravaram um vídeo que me soou absurdo. Eles criticam de forma categórica a “ideologia” de gênero aprovada no PME – Plano Municipal de Educação de Passo Fundo por meio do PL 5146/2015.

Não sei qual o papel de ambos nesta construção do PME.

Segundo os parlamentares, a ideologia de gênero é a moda do momento (mas ela é discutida há mais de 20 anos), uma pretensão das escolas, uma imposição e tem como objetivo destruir a família e manipular a mente das pessoas.

As crianças seriam então doutrinadas nesta “ideologia do mal”. Meu Deus. Em que mundo eles vivem?

 

“Ao relacionar a ‘ideologia de gênero’ como sendo ‘ideologia do mau’ a casos de pedofilia, os vereadores ofendem aos mais de 1,2 mil professores municipais e subestimam a inteligência das pessoas. O discurso só é aplaudido ou compartilhado por quem desconhece a profundidade do tema e se deixa levar por fanatismos religiosos. É de lamentar que o ano Legislativo, tão produtivo em Passo Fundo, encerre com um debate retrógado, sem significado para a educação”.
( Zulmara Colussi, em O Nacional, 28 de dezembro de 2017)
Mais informações, aqui.

Na realidade os discursos tem, antes, um viés eleitoreiro e de doutrinação religiosa do que uma real preocupação com a educação municipal, que sofre outros tantos graves problemas que deveriam ser prioridade na pauta de um vereador.

Não pude deixar de mais uma vez expor minha opinião, uma vez que este é aberto às opiniões e indignações.

A tão criticada “ideologia de gênero” apenas compreende que ninguém nasce homem ou mulher, mas que cada indivíduo deve construir sua própria identidade, isto é, seu gênero, ao longo da sua vida. É apenas uma forma de dizer que muito além de quereremos direitos e oportunidades iguais para homens e mulheres (que ainda estamos longe de conseguir), buscamos a compreensão de que não deve haver divisão do mundo entre homens e mulheres, pois somos sim todos iguais, independente do sexo. A questão é não haver diferença de sexos.

Nossas diferenças são apenas genitais e não deveriam importar culturalmente.

Essa simples palavra confunde as pessoas e confundiu nossos políticos, uma vez que eu sua compreensão falar em ideologia de gênero nas escolas seria uma forma de incentivar a homossexualidade e pior ainda, fizeram uma relação grave com abuso e exploração sexual infantil e esclarecem que a ideologia é uma imposição.

O Plano Municipal de Educação teve ampla discussão com participação de nossos educadores. Professores que compreendem o que falta no currículo escolar.

Professor dirigente do CMP Sindicato diz que Plano Municipal de Educação é fruto de uma discussão iniciada há mais de 10 anos e que proposta dos vereadores é desonesta e leviana.
Veja mais aqui.

É muito mais prejudicial para uma criança ver televisão aberta por horas, sem compreender realmente o que estão vendo, sem nenhum tipo de filtro, sem ter respeito por sua condição social. A escola é o espaço para o debate e a ideologia de gênero cumpre este papel. Simples assim.

Não vamos criar resistência aos termos que não conhecemos e não vamos acreditar em oportunismo.

Família é onde tem amor. Família é onde existem pessoas que se amam, independente do gênero. Porque ser do bem mesmo é ser alguém que compreende que somos iguais.

Você sabe o que é ideologia de gênero? Veja este vídeo bem esclarecedor.